Tornar-se num cliente

Pedir o cartão MAKRO

Bacalhau norueguês: Skrei

limpar o skrei
Entre Janeiro e Abril o bacalhau tem o seu auge gastronómico na Noruega. Nesta época produz-se o “milagre do Skrei”, ou seja, o périplo marinho desse peixe tão cotado, cujo nome significa literalmente “O Nómada” na antiga língua Noruega.
Quando atinge entre cinco a sete anos de idade e seu peso supera os dois quilos, inexplicavelmente o bacalhau árctico (Gadus Morhua) sente a necessidade de abandonar as gélidas águas do mar de Barents e migrar para sudoeste, para as ilhas Lofoten, o lugar exacto onde nasceu (por isso se denomina “o milagre”).

História do bacalhau Skrei

É o microclima das ilhas Lofoten, com correntes marinhas até quatro ou cinco graus mas temperadas que outras em latitudes similares, o que dá origem ao milagre: depois de crescer muito devagar nas gélidas águas do mar de Barents, o skrei alcança o momento da reprodução e procura as melhores condições nas ilhas. A longa viagem costuma começar em Janeiro e culmina em Fevereiro. Essa incursão é de ida e volta, pois o bacalhau regressa ao Árctico depois da desova (em que uma fêmea pode soltar uma média de cinco milhões de ovas). Os que não regressam são capturados pelos pescadores de forma tradicional e sustentável. Assim começa todos os anos a época do Skrei, que durará apenas quatro meses, até ao final de Abril.
skrei fresco

Características gustativas do Skrei

O Skrei norueguês tem fama de ser o melhor bacalhau do mundo. Tem como principais virtudes as condições naturais que o rodeiam: enquanto que as águas frias do mar de Barents favorecem a carne mas saborosa, o contínuo movimento das correntes que o levam às ilhas Lofoten tornam-na mais consistente. 

O bacalhau Skrei distingue-se dos restantes por ser mais comprido, mais delgado, e por ter uma carne mais compacta e tenra. É a perfeita matéria-prima, que, segundo confessam os grandes chefs, garante 90% do sucesso nas grandes cozinhas.

Aprende como cortar um bacalhau Skrei
como preparar

Curiosidades do bacalhau Skrei

Ainda que os noruegueses considerem o Skrei como o seu autêntico manjar nacional, a fama mundial desta espécie (Gadus Morhua) chegou em 1987 através da mão do francês Paul Bocuse.

Na competição do Bocuse d’Dor, a Grande Olimpíada Culinária que se celebra cada dois anos em Lyon (França) e que seleciona os melhores ingredientes do mundo como base do concurso, o Skrei fez parte do exclusivo plantel selecionados em várias ocasiões. Portugal, Espanha e Itália são dos maiores consumidores mundiais de bacalhau, devido em parte ao tradicional preceito católico da abstinência durante a Quaresma, mas também à facilidade de conserva este peixe em salmoura.

O Skrei em temporada é um dos peixes mais nutritivos e, ao mesmo tempo, um dos que apresenta menor conteúdo calórico.